Design e Relações de Gênero no Ambiente Construído

Design e Relações de Gênero no Ambiente Construído

A linha visa estudar as relações de gênero e suas implicações no ambiente construído e práticas em design. Busca estabelecer inovações tecnológicas em processos e produtos que utilizam a análise das relações entre capitalismo, colonialismo e heteropatriarcado para gerar benefícios e promover a igualdade de gênero.

Projetos em andamento

Technologies for another form of construction: experience in construction by female integrants of popular housing movements -Tecnologias para outra forma de construção: a experiência construtiva das mulheres em movimentos populares de habitação

A proposta consiste em propor e experimentar novas formas de organização do trabalho em torno da produção autogestionária do habitat, a partir de mudanças na forma de pensar (projetar), produzir e utilizar os espaços. A produção de habitações populares auto construídas pelos próprios moradores em processos participativos de projeto arquitetônico e construção, é constituída de grupos populares e movimentos de moradia, na sua grande maioria mulheres (cerca de 80%). Design esse criado em conjunto com essas mulheres de modo a desconstruir as barreiras criadas pela divisão sexual do trabalho, sobretudo nas atividades construtivas, prioritariamente compostas por homens. Essas mulheres, em sua maioria, com baixos rendimentos, chefes de família e não-brancas, serão beneficiadas com a criação coletiva de uma outra forma de pensar a construção habitacional, podendo inclusive, seguirem carreira na área da construção civil. O projeto foi aprovado no programa “Gendered Design in STEAM” (ciência, tecnologia, engenharia, arte e matemática) para países de baixa e média renda (LMICs) financiado pelo International Development Research Center e gerenciado pela Carleton University, no Canadá.

Heroínas que inspiram: desenvolvimento de um livro infanto juvenil com narrativas sobre mulheres alagoanas comuns (Projeto de TCC em Design).

O TCC em desenvolvimento tem o objetivo de elaborar um livro ilustrado com viés feminista para o público infanto juvenil, trazendo narrativas de mulheres alagoanas como forma de inspiração para o público, sob auxílio de ferramentas de design. Autora: Paula Fernanda Lins Alves, orientadora: Flávia Araújo.

Maceió pelas Mulheres: Representatividades femininas na produção e ocupação dos espaços públicos da capital alagoana no século XXI (Projeto Pibic 2019 – CNPQ | UFAL | FAPEAL)

O projeto tem por objetivo analisar os principais discursos grafados nos espaços livres, mobiliários e equipamentos públicos em Maceió, que direta ou indiretamente estão relacionados às questões de gênero, destacando seus temas e estratégias de visibilidade. Além de destacar representantes femininas, suas histórias e produções/intervenções artísticas nas ruas durante os últimos anos em Maceió. E compartilhar com a comunidade, acadêmica e não acadêmica, informações e resultados desta pesquisa por meio artefato gráfico sobre gênero e intervenção urbana (confeccionado individual ou coletivamente). Orientadora: Flávia Araújo, bolsista: Líris Sousa Rocha (Projeto aprovado em parceria com Grupo de Pesquisa MEP/FAU/UFAL).

MACEIÓ PELAS MINORIAS: Representatividades não-hegemônicas na esfera pública do século XXI (Projeto Pibic 2020 – CNPQ | UFAL | FAPEAL)

O projeto tem o objetivo de avaliar a equidade de gênero na produção e ocupação dos espaços públicos da cidade de Maceió, com enfoque nas representatividades não-hegemônicas (femininas e LGBTQ), de modo a contribuir para o debate sobre arquiteturas e urbanismos alternativos do novo milênio. Orientadora: Flávia Araújo, bolsista: Líris Sousa Rocha (Projeto aprovado em parceria com Grupo de Pesquisa MEP/FAU/UFAL).

.


<span>%d</span> blogueiros gostam disto: